Como estão as companhias aéreas a reagir ao coronavírus?

É oficial. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou o novo coronavírus como uma pandemia.

De acordo com a entidade, o termo descreve a “propagação global de uma nova doença”, que é, de facto, o que tem vindo a acontecer. A decisão surgiu duas semanas depois de o vírus chegar a todos os continentes – o número de contágios já ultrapassou os 118 mil casos, sendo que 2.291 foram fatais, em 114 países.

Num mundo cada vez mais globalizado, em que cada vez mais pessoas cruzam oceanos e continentes por diversos motivos, meios de transporte como os aviões são recorrentemente utilizados por adultos, crianças e jovens.

Com isto em mente, tentámos perceber que medidas preventivas estão a ser tomadas por três companhias aéreas no sentido de proteger clientes e funcionários.

Mas como estão as companhias aéreas a reagir?

A TAP disponibiliza todo um conjunto de recomendações para os seus passageiros, assim como algumas indicações sobre as medidas adotadas no interior das aeronaves, numa altura em que o número de diagnósticos por Covid-19 tende a aumentar.

Para prevenir contaminações, a companhia aérea portuguesa efetua limpezas rigorosas nos aviões e espaços de trabalho, “implementando procedimentos adicionais de limpeza e desinfeção específicos para o coronavírus”.

As companhias IBERIA e Azul não disponibilizam qualquer informação sobre os planos de contingência ou medidas excecionais adotadas para controlar o vírus.

A crise económica provocada pelo Covid-19 levou a que algumas companhias, como é o caso da brasileira Azul, comunicassem somente o reembolso de viagens, a redução de salários e a existência de licenças sem vencimento para os trabalhadores. A TAP também já avançou que vai recorrer ao sistema de licenças sem vencimento para combater a crise provocada pela pandemia.

2 thoughts on “Como estão as companhias aéreas a reagir ao coronavírus?

  1. Neste momento o aeroporto de Lisboa está cheio de aviões nas pistas, parados. E tão cedo não me parece que os voos voltem ao ritmo como os conhecemos pois haverá sempre restrições na circulação. Não são tempos fáceis mas que cada um consiga tirar algo de bom neles, que cresça no seu interior. É o que espero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *