Coronavírus e os portugueses

Os números não são animadores: mais de 85 mil infectados pelo coronavírus a nível mundial, dos quais quase 40 mil já estarão totalmente recuperados. Mas o número de vítimas mortais já ultrapassou as 2.900.

O vírus que foi detectado na China no final do ano passado, rapidamente ultrapassou fronteiras e chegou aos cinco continentes, fazendo a Organização Mundial da Saúde (OMS) elevar o risco de contágio e de impacto do novo coronavírus a “muito alto a nível global”.

E Portugal?

Por aqui já registamos 67 casos suspeitos, mas todos eles deram negativos. Claro que até sentimos alguma inveja do coronavírus não querer nada connosco. Sempre que surge uma nova suspeita, lá ficamos nós, frente à televisão a ver se é desta que a CM TV vai fazer um direto com o primeiro infetado com coronavírus em Portugal,  para lhe oferecer uma medalha e o Marcelo ir lá dar-lhe um abracinho, mas depois lá fazemos aquela cara de decepção quando é anunciado que os resultados das análises deram negativo.

Em conversas de café assusta-me que muitos não se apercebam da real gravidade da situação, que estamos perante uma pandemia que pode demorar um ano a ser controlada.

Mas ainda fiquei mais preocupada quando Graça Freitas, a diretora-geral de Saúde diz que se espera que haja um milhão de infetados com coronavírus, em Portugal. Ora, perante a situação critica que o Mundo está a atravessar, na minha opinião, esta senhora está louca ao dar tais declarações. E, na minha opinião, não lhe deviam dar mais tempo de antena, porque tais declarações apenas causaram um falso alarmismo. É verdade que andamos deprimidos por não termos o coronavírus por cá, mas também só queremos 2 ou 3 casos, vamos lá ter calma!

Aquelas coisas estranhas…

As lojas chineses estão vazias. Desde que o surto de coronavírus surgiu na China que as pessoas evitam as lojas chinesas e em Lisboa já se registaram atitudes xenófobas para com a comunidade chinesa. Ah, espera! Os chineses que têm as lojas vivem e trabalham em Portugal e estão a milhares de quilómetros do vírus que todos ambicionamos.

Cerveja corona? nã, então não se vê pelo nome que contêm qualquer vírus altamente contagioso. Ah, espera, mas a cerveja é mexicana. Mas isso não impediu de surgirem inúmeras piadas no Facebook e da empresa ter tido um prejuízo de cerca de 260 milhões de euros.

Uma vez que o vírus nasceu na China e não tem qualquer dificuldades em espalhar-se por outros países, talvez seja por atitudes xenófobas como estas que ele não quer entrar em Portugal, pois pelo caminho ainda se pode cruzar com o deputado André Ventura que o quer devolver ao seu país, como sugeriu fazer a Joacine.

4 thoughts on “Coronavírus e os portugueses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *