SNS: o parente pobre e incompreendido do Estado

Num dos seus textos José de Almada Negreiros escreveu o seguinte:

“O DANTAS SABERÁ GRAMÁTICA, SABERÁ SINTAXE, SABERÁ

MEDICINA, SABERÁ FAZER CEIAS PRA CARDEAIS, SABERÁ TUDO

MENOS ESCREVER QUE É A ÚNICA COISA QUE ELE FAZ!”.

Pareceu-me numa dessas noites encontrar muitas semelhanças entre o referido Dantas e o Serviço Nacional de Saúde, pois julguei que o nosso sistema de saúde poderia cobrar impostos, passar multas de transito ou mesmo fiscalizar boates de fama duvidosa, poderia fazer tudo isso menos garantir o rápido acesso aos cuidados de saúde, que pelos vistos é o que se propõem a fazer e que não sabem fazer.

Mas obviamente que isto foi apenas um pensamento parvo após uma noite mal dormida e longe de mim pensar que uma área com milhões de euros de orçamento pudesse cometer erros de falta de comunicação ou profissionalismo sem existir uma justificação lógica. E após muita meditação, conclui que o diagnóstico é falta de dinheiro para pagamento das contas de telecomunicações, ora vejam:

Soube que um Hospital enviou uma carta a informar a data de uma consulta, mas a mesma não consta no sistema informático do hospital. Ora, sabemos que os planos de Internet não estão ao alcance de todas as carteiras e talvez a pequena bolsa do SNS seja pequena demais para pagar tais serviços de luxo. Quando tiver tempo irei pedir à responsabilidade social da Altice para criar o “MEO SNS” um programa com tarifas reduzidas para os Hospitais e Centros de Saúde que garantam que os sistemas estão atualizados.

Ainda no ramo das telecomunicações falta dinheiro para a conta telefónica, pois na minha opinião seria importante ligar às pessoas quando marcam consultas em cima da hora. Se calhar estou a ser injusto, provavelmente os telefonistas não tiveram tempo para ligar, pois não conseguiram com tanto trabalho e como se costuma dizer o que conta é a intenção.

Recomendo em jeito de conclusão para aprenderem a fazer sinais de fumo na direção do Hospital mais próximo, pois se ligarem para o 112 numa situação de emergência a linha pode ser cortada a meio por falta de pagamento e a ambulância em vez de ser enviada para Montemor-o-Novo será enviada para Montemor-o-Velho pois a ultima palavra foi cortada e alguém decidiu brincar ao Euromilhões.

1 thought on “SNS: o parente pobre e incompreendido do Estado

  1. Infelizmente, temos constatado que o SNS tem falhado a muitos níveis. Desejo-lhe “rápidas melhoras” para bem de todos quantos precisam de recorrer aos seus serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *